13.05.2019 | 10h00


DEVASSA NO DETRAN

Governo exonera mais nove e cassa aposentadorias de três servidores corruptos

Novas demissões e cassações de aposentadorias foram publicada no Diário Oficial, que circula nesta segunda-feira (13).


DA REDAÇÃO

O governador Mauro Mendes (DEM) publicou no Diário Oficial, que circula nesta segunda-feira (13), mais uma leva de demissões e cassações de aposentadorias de servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) envolvidos no esquema de compra e venda de Carteiras Nacionais de Habilitação (CNH), revelado durante as operações Fraus (2013) e Mão Dupla (2018), ambas deflagradas pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários (Defaz) da Polícia Civil. 

Dessa vez três servidores tiveram as aposentadorias cassadas, são eles: Oacyr Jacob de Souza, Paulo Marcelino de Azevedo e Lucília Souza Garcia.

 

Já outros nove servidores foram demitidos: Hugo César Ramos Paternez; Eliseu Antônio dos Santos, Eudes Will, Airton Gonçalves de Queiroz, Natália Rosa de Macedo,Roberto Ramos dos Santos, Nivaldo de Arruda e Silva Filho, Sandra Cândida da Silva e Demaria Moreira Calaca.

Hugo César Ramos Paternez, por exemplo, perdeu o cargo de examinador. Ele havia sido preso em dezembro de 2018, durante a operação Mão Dupla e o processo administrativo (PAD), que culminou em sua demissão foi aberto no Detran em 2015.

Demaria, Airton (examinador), Oacyr (examinador), Nivaldo (examinador), Eliseu (auxiliar do Serviço de Trânsito),e Lucília (examinadora), também tiveram PAD’s abertos durante o ano de 2015.

Na primeira leva de exonerações, publicada no Diário Oficial que circulou na sexta-feira passada (11), o governador demitiu 24 e cassou a aposentadoria de 12 servidores do Detran (veja a lista no link no final da matéria).

Fraus 

As fraudes ocorreram entre os anos de 2012 e 2013.

Além de servidores públicos, o esquema de venda de CNHs tinha a participação de proprietários de 17 autoescolas de Mato Grosso e Goiás.

De acordo com o Ministério Público, na ocasião, proprietários de autoescolas dos dois estados se uniram para cooptar candidatos à primeira habilitação a requererem a carteira em Barra do Garças e Araguaiana, onde as fraudes aconteciam. 

Os candidatos, em maioria semianalfabetos, eram aprovados sem fazer provas práticas, teóricas ou de direção, e ainda conseguiam aprovação nos exames feitos por pessoas que se passavam por eles nas provas. As pessoas que compravam esse tipo de serviço pagavam valores entre R$ 600 até R$ 5 mil.

Em 2013, a Operação Fraus cumpriu mandados de prisão e busca e apreensão em 39 cidades, sendo oito em Mato Grosso, um em Tocantins e 30 em Goiás.

Em 2017, o Ministério Público Estadual, por meio da 2ª Promotoria de Justiça Criminal de Barra do Garças, ofereceu denúncia contra 99 pessoas, acusadas de participarem da “Máfia do Detran”.  

Mão Dupla 

Em dezembro de 2018, a Operação Mão Dupla prendeu 25 servidores do Detran, a partir das investigações da Operação Fraus, que por meio de depoimentos, comprovou as fraudes na emissão de ao menos 30 carteiras de habilitação.

Leia mais

Governador exonera 24 cassa e aposentadoria de 12 servidores por venda de CNH

 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

ana  13.05.19 15h33
precisa agir com mais firmeza e pesquisar muito pois tem muita gente aposentada ganhando muito sem merecer na AL e outros orgãos do governo

Responder

0
0
Matéria(s) relacionada(s):

Enquete

R$ 65 MILHÕES

Você é a favor ou contra o corte de Bolsonaro no orçamento da UFMT e IFMT?

Sim, só produzem baderna

Não, vai piorar o nível dos cursos

Sim, a maior parte do gasto é com altos salários de servidores

Não, deveria aumentar os investimentos

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER