15.03.2019 | 09h50


SANTA CASA

Funcionários se desesperam com 6 meses de atraso nos salários

Servidores pedem ajuda dos poderes para regularização de salários e retorno de atendimento a crianças com câncer na unidade que está fechada desde segunda-feira (11).


DA REDAÇÃO

Com salários atrasados há seis meses, funcionários da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá relatam os dramas vividos por eles e por 30 crianças com câncer e seus pais, que deixaram de receber atendimento na unidade desde segunda-feira (11), devido a falta de repasses financeiros. O hospital acumula dívidas de R$ 75 milhões.

Os problemas foram explanados na reunião que os funcionários do Santa Casa tiveram com os vereadores na quinta-feira (14).

Segundo André Luiz Devausx, que trabalha no setor administrativo, a situação é de desespero para ambas as partes que precisam da Santa Casa para viver.

“A gente precisa sustentar as famílias e os pais continuarem acreditando na cura de seus filhos. Não conseguimos mais aguardar. Já está indo para seis meses de espera (salários atrasados), sem nada”, desabafou com a voz embargada.

Ele também disse que nos últimos dias a direção do hospital demitiu funcionários que relataram na imprensa a falta de atendimento aos pacientes na unidade. “Por forma de coação mandaram um funcionário embora, o Rodrigo Lopes, do ambulatório, ótimo profissional”, lamentou.

“A gente precisa sustentar as famílias e os pais continuarem acreditando na cura de seus filhos. Não conseguimos mais aguardar. Já está indo para seis meses de espera (salários atrasados), sem nada”, desabafou.

Já outra funcionária, que preferiu não se identificar, disse que a Santa Casa está na UTI e que a situação dos pacientes é dramática.  

“A gente sabe que o prefeito não está devendo o hospital. A gente não trabalha para Prefeitura, a responsabilidade é deles e não do prefeito. A gente está correndo atrás do prefeito para pedir socorro. Nós estamos implorando”, disse a mulher durante a reunião.

Já Carla Soler, que realiza trabalho voluntário na Santa Casa, disse que desde a suspenção dos atendimentos as crianças estão sem tratamento oncológico e sem tomar os medicamentos para combater o câncer.

“É uma situação muito difícil e a gente tenta acompanhar, conversar, dar pelos menos algum tipo de conforto para os pais”.

Transferência de atendimento

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) informou na quinta-feira (14), que devido à situação de urgência, as crianças internadas na Santa Casa serão transferidas para o Hospital do Câncer da Capital e outras unidades de referência, até que se normalize o atendimento no hospital filantrópico. A transferência deve acontecer nesta sexta-feira (15).

Intervenção 

O prefeito analisa se o Municipio irá intevernir ou não na Santa Casa.

A medida drástica é um pedido dos vereadores que abriram uma CPI em que apontam sérias irregularidades na gestão do filantrópico, que não estaria prestando devidamente os serviços contratualizados com a Prefeitura.

Hospital fechado  

A Santa Casa paralisou os atendimentos alegando falta de condições pelo fato de atraso em repasses da Prefeitura de Cuiabá.

Emanuel emitiu nota, na terça-feira (12), afirmando que estava analisando documentos sobre a viabilidade de fazer repasses financeiros à Santa Casa de Misericórdia, que de acordo com a Prefeitura, teve os pagamentos suspensos por recomendação da Delegacia Fazendária, já que o hospital seria alvo de investigação, o que é negado pela direção da unidade de saúde.

A Prefeitura havia se comprometido repassar o valor R$ 3,6 milhões para custeio de serviços emergenciais.

A nota informa que o Município não é obrigado a cumprir os repasses, já que a Santa Casa não cumpriu com o acordo firmado entre as partes.

“Foram repassados R$ 24.866.260 para a instituição, mas os serviços hospitalares que deviam ser ofertados aos cidadãos não foram executados. Sendo o motivo da dívida da Santa Casa com a Prefeitura de Cuiabá”, afirma trecho do documento.

Veja vídeos

 

Leia mais

Preza acusa ex-secretário de Saúde por sabotagem a hospital

Parentes de Antônio Preza e outros 38 recebiam até R$ 40 mil por mês em filantrópico

Ministério da Saúde confirma impedimento de repasse à Santa Casa











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

Enquete

R$ 65 MILHÕES

Você é a favor ou contra o corte de Bolsonaro no orçamento da UFMT e IFMT?

Sim, só produzem baderna

Não, vai piorar o nível dos cursos

Sim, a maior parte do gasto é com altos salários de servidores

Não, deveria aumentar os investimentos

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER