18.06.2017 | 17h18


ESPINHA BÍFIDA

Família pede doações para operar tumor em menino de três anos

O procedimento cirúrgico é feito somente em São Paulo no Hospital Israelita Albert Einstein e o custo da cirurgia é de R$ 200 mil.


DA REDAÇÃO

Família do menino várzea-grandense Miguel Vital de Paiva, de três anos, faz campanha na internet pedindo ajuda para conseguir recursos necessários para realizar a cirurgia de retirada de um tumor na coluna do garoto causado por uma doença rara conhecida como Mielomeningocele, ou "espínha bífida" que é um defeito congênito em que a medula espinhal do bebê não se desenvolve regularmente.

O procedimento cirúrgico é feito somente em São Paulo no Hospital Israelita Albert Einstein e o custo da cirurgia é de R$ 200 mil. A família busca ajuda porque não tem condições de arcar com as despesas.

O pai do menino, Leandro Aparecido de Paiva falou ao que a Mielomeningocele também conhecida como Chiari II não tem cura, mas pode ser controlada por meio de tratamento. A cirurgia corretiva foi feita quando o Miguel ainda estava na barriga da mãe e agora a equipe médica constatou o tumor na coluna do menino, que precisa ser operado às pressas.

“Descobrimos que ele tinha Mielomeningocele com 22 semanas de gestação e aí entramos em contato com um casal que na época morava em Cáceres, para nos ajudar com a documentação necessária para realizar a cirurgia em São Paulo, pois em Cuiabá ainda não tem profissional especializado. E quando minha esposa estava com 26 semanas de gestação, ela foi submetida à uma cirurgia intrauterina para correção da medula do bebê”, explicou Leandro.

"Agora que constatou este tumor [em junho deste ano], precisamos correr para conseguir realizar a cirurgia, que precisa ser feita em no máximo quatro meses”, relatou o pai do menino.

O pai da criança explica que de lá pra cá o menino tem uma vida normal, apesar de ter dificuldades motoras, por conta da patologia. Ele diz que a família tinha esperança de não ter que submeter mais o menino à nenhuma outra cirurgia, porém este ano a equipe médica de São Paulo, que acompanha Miguel, identificou o tumor, que segundo laudo médico, apresenta evolução com piora da motricidade de uma medula ancorada na coluna do menino, que vem aumentando progressivamente.

“Todos os anos após o nascimento do Miguel, vamos até São Paulo para fazer o acompanhamento com o neurocirurgião pediatra, urologista e com o ortopedista. Agora que constatou este tumor [em junho deste ano], precisamos correr para conseguir realizar a cirurgia, que precisa ser feita em no máximo quatro meses”, relatou o pai do menino.

"Além do custo com o hospital, precisamos custear os médicos, a equipe técnica e os exames. Por isso precisamos do apoio e da ajuda da sociedade", explicou.

De acordo com a equipe médica, a cirurgia é delicada e deve durar cerca de oito horas, mas após a recuperação, o menino pode ter melhora significativa no desenvolvimento e mais qualidade de vida.

"A cirurgia é delicada, pois os médicos têm que identificar todas as terminações nervosas próximas ao tumor de forma que ele não tenha sequelas. Por isso, o neurologista escolheu dois hospitais que usam materiais modernos para realizar o procedimento, o Albert Einstein ou o Santa Catarina, os dois em São Paulo. Além do custo com o hospital, precisamos custear os médicos, a equipe técnica e os exames. Por isso precisamos do apoio e da ajuda da sociedade", explicou.

A família está providenciando a documentação para pedir suporte ao Estado para subsidiar o tratamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas por enquanto ainda não foi concluído o processo.

Diante da situação, a família fez um site para conseguir doações de valores que serão essenciais para o tratamento do menino. No site consta a história do menino, além da meta e os valores obtidos até o momento. A família ainda não obteve nem metade do valor necessário para a cirurgia, mas acredita que em breve vai conseguir o recurso. (Acesse aqui)

"Nós temos certeza de que a sociedade vai se sensibilizar com a história do meu filho e que vamos conseguir realizar esta cirurgia e em breve ele terá vida normal, se Deus quiser. Meu filho é um guerreiro, forte e abençoado", disse Leandro que é casado com Millena Vital Pereira de Paiva e juntos eles têm dois filhos, Miguel e Guilherme de 6 anos.

Quem quiser ajudar, pode acessar o site https://www.vakinha.com.br/vaquinha/miguel-vencendo-a-mielo ou fazer transferências para o Banco do Brasil Agência: 2128-8 Conta: 31.941-4 Variação: 51 CPF: 072.339.971-95 - Miguel Vital de Paiva​.

A família criou uma página no Facebook na qual conta a história, publica fotos e notícias sobre o menino, para que as pessoas possam acompanhar e apoiar a causa de Miguel. (Veja aqui)

 

Galeria de Fotos:
Credito: RpMT/Divulgação
Credito: RpMT/Divulgação
Credito: RpMT/Divulgação










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER