24.01.2015 | 09h00


LEGADO DA SECOPA

Falhas na Arena Pantanal começaram no projeto; chuvas evidenciaram erros

O secretário deixou claro que as falhas não foram descobertas antes, porque quando o estádio foi usado, para os jogos da Copa do Mundo, era tempo de seca.


DA REDAÇÃO

O secretário de Gustavo Oliveira, do Gabinete de Gestão Estratégica do Estado, afirmou em entrevista aos jornalistas, que os diversos problemas que levaram à interdição da Arena Pantanal para grandes eventos seriam referentes ao projeto da obra, que custou aos cofres

O problema pode afetar parte elétrica e causar um curto-circuito no local. A hipótese de incêndio foi descartada, mas o apagão seria certo.

públicos cerca de R$ 650 milhões.

“Tem problemas de projeto aqui que não são de responsabilidade da construtora [Mendes Júnior], são problemas de projeto que não foram detectados na época da construção e que precisam ser resolvidos agora”, declarou.

Na entrevista realizada durante visita à Arena, nesta quinta-feira (22), o secretário deixou claro que as falhas não foram descobertas antes, porque quando o estádio foi usado, para os jogos da Copa do Mundo, era tempo de seca. Quando a chuva chegou os problemas se afloraram.

“A Arena funcionou bem na Copa do Mundo e com a intensificação das chuvas alguns problemas que na seca não apareciam, começaram a aparecer”, frisou.

Os principais problemas estão distribuídos em 12 pontos no subsolo, onde há grande acúmulo de água por conta de infiltrações, que já inundaram o local onde estão as torres de captação de água. Na parte de circulação pública, ao lado do restaurante, parte do forro cedeu com a umidade, que ameaça derrubar outra parte da cobertura, o que poderia machucar quem estivesse no local.

O problema pode afetar parte elétrica e causar um curto-circuito no local. A hipótese de incêndio foi descartada, mas o apagão seria certo.

De acordo com o controlador geral do Estado, Ciro Rodolfo Gonçalves, a auditoria que está sendo realizada na obra deve definir se os problemas são realmente do projeto, ou da construção.

Já Gustavo ressaltou que a parte que falhou será responsabilizada.

“Sem dúvida as responsabilidades estão sendo apuradas e serão penalizadas. Se a culpa for do projetista, o projetista, se for da construtora, a construtora; e assim por diante”.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Marlon Cesar  24.01.15 14h19
Desde junho de 2009, quando absurdamente escolheram esse projeto horroroso e singelo ao extremo, que critico essa mudança do projeto anterior para esse ridículo que ainda não está 100% pronto e que custou mais do que os outros 3 mais belos da Copa.

Responder

0
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER