10.06.2019 | 10h47


100% SEM ÔNIBUS

Emanuel chama paralisação de motoristas de falta de respeito

Prefeitura emitiu nota de repúdio pela paralisação total do transporte coletivo em Cuiabá.



A Prefeitura de Cuiabá emitiu nota de repúdio contra a paralisação de 100% da frota dos ônibus, sem aviso prévio, o que é considerado ilegal.

A nota destaca que o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) estranha a situação ocorrer logo após o lançamento do edital de licitação do transporte coletivo, procedimento que não era realizado há 17 anos e avisa que a se a situação não for solucionada ainda nesta segunda-feira, ele irá tomar providências junto à Justiça.

Emanuel classificou a situação como falta de respeito com a população e determinou que o secretário Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Antenor Figueiredo, se reúna com representantes do sindicato dos Motoristas e das empresas para buscar uma solução para o retorno do transporte coletivo imediatamente.

Paralisação

Motoristas das empresas de ônibus de Cuiabá e Várzea Grande suspenderam totalmente as atividades na manhã desta segunda-feira (10). A principal queixa da categoria é o constante atraso salarial, que deveria ser pago todo 5º dia útil.

A situação repentina pegou milhares de passageiros de surpresa, lotando os pontos de parada nas duas cidades.

Inicialmente a paralisação de 100% da frota de ônibus seria até as oito da manhã, mas de acordo com o sindicato dos motoristas foi estendida até o meio dia. Caso os salários não sejam depositados até lá a categoria afirma que irá iniciar a greve e só a partir de então irá circular com  30% da frota dos ônibus.

Associação Mato-grossense dos Transportadores Urbanos (MTU) confirmou, via assessoria, que os salários não foram pagos na última sexta-feira (7), que foi o 5º dia útil do mês.

A situação foi justificada com a ‘desorganização’ financeira nas empresas pelas constantes alterações no valor da tarifa do transporte.

"As empresas estão buscando meios para que os salários sejam pagos", informou a assessoria.

 

Veja a nota de repúdio na íntegra

 

Sobre a paralisação dos motoristas do transporte coletivo, a Prefeitura de Cuiabá informa que:

 - Repudia a paralisação surpresa dos motoristas. O movimento é ilegal, uma vez que acontece sem o aviso prévio de 72h estabelecido por lei; o lançamento do edital de licitação do transporte coletivo, procedimento que não era realizado há 17 anos

- O transporte público é um serviço essencial e também um direito social, portanto, 30% da frota deveria ser mantida em circulação;

- O prefeito Emanuel Pinheiro determinou que o secretário Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Antenor Figueiredo, se reúna com representantes do sindicato dos Motoristas e das empresas para buscar uma solução para o retorno do transporte coletivo imediatamente;

- O prefeito também estranha a paralisação neste momento, logo após a o lançamento do edital de licitação do transporte coletivo, procedimento que não era realizado há 17 anos e que vai modernizar o transporte público de Cuiabá. 

Prefeitura de Cuiabá

- Indignado com a falta de respeito com a população, o prefeito Emanuel Pinheiro afirma que se as atividades do transporte coletivo não forem retomadas hoje, vai tomar providências na Justiça. 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER