24.04.2019 | 07h00


CRISE GENERALIZADA

Atendimento no Pronto-Socorro de VG aumentou 40% após fechamento da Santa Casa

Hospital de urgência e emergência de Várzea Grande passou de 600 para 840 atendimentos por mês.


DA REDAÇÃO

O senador Jayme Campos (DEM) disse que o atendimento no Pronto-Socorro de Várzea Grande aumentou em 40% depois que a Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá fechou as portas há mais de um mês, no último dia 11 de março.

"De 600 atendimentos por mês, nós subimos para 840 e os recursos enviados pelo Estado e Governo Federal são os mesmos, não aumentaram os valores", afirmou ao Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante reunião na Assembleia Legislativa para debater a crise dos hospitais filantrópicos em Mato Grosso.

"De 600 atendimentos por mês, nós subimos para 840 e os recursos enviados pelo Estado e Governo Federal são os mesmos, não aumentaram os valores", disse o senador Jayme Campos.

A fala foi no sentido de sensibilizar Mandetta, para que ele destine recursos para ajudar na crise da Santa Casa, que acumula dívidas de R$ 118 milhões e não paga os salários dos funcionários há sete meses.

Jayme – marido da prefeita de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM) – ponderou que é necessária uma solução mais “caseira” e rápida para solucionar o problema, já que a Santa Casa atende pacientes de todo o Estado e o fechamento da unidade complica todas as outras instituições públicas.

O ministro voltou a reiterar que só destina os recursos se houver um plano operacional efetivo para administrar o hospital.

"Já me falaram que essa dívida era R$ 10 milhões, depois 30, 60 e R$ 100 milhões. Agora o valor é de R$ 118 milhões. Afinal de contas, qual é o valor disso? Me deem um timoneiro seguro, pois eu preciso saber onde é o chão disso", argumentou Mandetta.

Leia mais

Ministro de Bolsonaro bate-boca com Wilson: Não vai brincar com meu Ministério

Vereador denuncia que ex-presidente ainda manda na Santa Casa

Santa Casa corta R$ 100 mil em gratificações e deve demitir 145 funcionários

Governo promete liberar R$ 50 milhões, mas exige intervenção na Santa Casa de Cuiabá

'Não tenho varinha mágica', diz Mauro sobre crise na Santa Casa

Funcionários se desesperam com 6 meses de atraso nos salários 

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER