02.07.2017 | 17h54


"GOSTOSA, CASA COMIGO"

Servidor do Incra é condenado a 6 anos de cadeia por assédio moral e sexual



O servidor do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), Gerson Policarpo Enore, foi condenado pelo juiz Paulo Cézar Alves Sodré, da 1ª Vara Federal de Mato Grosso, a seis anos e um mês de prisão, em regime semiaberto, pelos crimes de injúria racial, calúnia, difamação e assédio sexual praticados contra seus colegas de trabalho.

Em uma ocasião, Gerson ofendeu a honra de uma colega chamando-a de “incompetente, burra, corrupta, que fica sumindo com processos e documentos”. A mesma mulher também sofreu assédio sexual. Ele disse para ela “Você é muito gostosa”; “meu amor, me dá um beijo"; “larga do seu marido e casa comigo que eu vou comprar um apartamento pra você.”

Conforme a denúncia do Ministério Público Federal, ele proferiu palavras racistas contra outro servidor do Incra, chamando-o de “negro, negrinho, saci e macaco”.

O juiz concluiu que todas as acusações contra Gerson foram comprovadas através dos depoimentos das vítimas e testemunhas.

O magistrado afirmou que "os constrangimentos sofridos se apresentaram de diversas formas, ora com a utilização de expressões de elevado teor sexual, ora com piadinhas, racismo, versinhos amorosos e telefonemas indiscretos, se revelando em algumas situações, inclusive, em inaceitáveis puxões de braço, empurrões e tentativas de abraços e beijos forçados".

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER