23.02.2018 | 11h20


EXTORSÃO NO PAIAGUÁS

‘Sacanagem começou em 2014 e Luciane brigava por propina', revela Silval



Em depoimento aos vereadores de Cuiabá, membros da CPI que apura o recebimento de propina, pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), quando ele era deputado, o ex-governador Silval Barbosa relatou a pressão que os deputados faziam quando a propina atrasava e o descumprimento do acordo, por parte de alguns, que como intimidação votavam contra aos projetos do Governo, ao invés de votar a favor, como havia sido combinado.

Ainda segundo o ex-governador a situação mais complicada era com a então deputada Luciane Bezerra (PSB), atual prefeita de Juara, devido as cobranças constantes e discussões.

“No final em 2014 começou a sacanagem. As pessoas que estavam recebendo votavam contra. Era aquela pressão, não deixavam o Silvio [Silvio Correa, ex-chefe de gabinete] trabalhar. Era pressão 24h. Para você ter uma ideia, a deputada Luciane chegou a  abrigar como Silvio e reclamar comigo que não queria mais o acordo com o Silvio, porque ele não cumpria. Era uma briga constante e o Silvio não aguentava mais”.

Quem terminou de pagar o acordo com Luciane foi o ex-secretário da Casa Civil Pedro Nadaf.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER