05.05.2014 | 18h00


DESVIOS DA COPA

Dono da União Transportes culpa novas rotas pela falta de ônibus em VG

Atualmente a cidade conta com 89 ônibus nas linhas municipais e 92 na intermunicipal


DA REDAÇÃO

Viagens mais longas e demoradas, ruas sem infraestrutura, e desvios e mais desvios. Essa é a justificativa do empresário Rômulo Botelho, proprietário da empresa União Transporte, que detém a concessão do serviço do transporte coletivo, em Várzea Grande, que liga a cidade a Cuiabá. “São muitos desvios, a viagem se torna mais longa, principalmente pelo fato da rua não ter a estrutura adequada para receber os ônibus”, diz. 

Atualmente, a cidade conta com 89 ônibus nas linhas municipais e 92 na intermunicipal, e, segundo o empresário, essa quantidade é suficiente para atender a demanda. “Os carros que temos rodando é mais do que suficiente para atender a demanda. Ao todo são transportadas a média de 45 mil pessoas diariamente, dos usuários que utilizam exclusivamente o transporte municipal, não chega a 30% desse total”, explica.

Botelho frisa ainda que o maior problema com o transporte coletivo ocorre nos horários de pico, nos períodos da manhã e fim de tarde. “Nesses horários que as pessoas reclamam que faltam ônibus, mas na verdade todos estão na rua normalmente, até mesmo com carros reservas, mas os desvios tem tornado as viagens mais longas, todas as vias estão engarrafadas. Não quer dizer que faltam ônibus e sim que os veículos estão demorando mais para concluir uma viagem. Antes um itinerário de demorava 40 minutos, hoje esta demorando  até uma hora”, justifica.

O empresário frisa que o problema só será totalmente sanado quando as obras de mobilidade estiverem concluídas. “As Avenidas da FEB e a 31 de março ficam com o fluxo de veículos sobrecarregado durante o dia. Carros e ônibus dividindo as mesmas pistas. É muito complicado. tudo será resolvido somente quando as obras forem concluídas”.

Quanto ao aumento na frota, Botelho afirma que é necessário concluir a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), para então saber se haverá ou não a necessidade de ampliar a frota. “Tudo depende da conclusão do VLT, aí concluímos e estudo que vai mostrar o impacto que esse novo modal terá no transporte coletivo”.

MANIFESTAÇÃO

Um vídeo postado em uma rede social mostra  uma manifestação dos usuários da linha Mario Andreazza (VG)/ Cuiabá realizado na última sexta-feira (02). Irritados com a falta de ônibus, as pessoas impediram a saída de três veículos que estavam lotados. A pessoa que gravou as imagens frisava que a passagem é uma das mais caras, mas o serviço continua deixando a desejar.

Assista: 

 

 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

thiago andre de arruda nogueira  06.05.14 08h03
para, antes mesmo das obras da copa já não tinha ônibus suficiente, isso ai e culpa da prefeitura e da ager, em várzea grande e um monopólio, uma empresa somente, com isso ela faz o que quer.

Responder

1
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER